Posted by: Marcela Bonazzi | February 15, 2009

Any dream is possible

Maki, Fernando e eu

Maki, Fernando e eu

Há quase três meses atrás eu embarcava em um avião usando uma camiseta que dizia ‘Você sempre volta diferente de uma viagem‘. Agora, posso dizer que entendo exatamente o que essa frase quer dizer.

Mas a parte mais difícil não é se ver mudar, mas sim deixar aquele novo mundo para trás e voltar para esse, que continua igualzinho. Como fazer para deixar tudo aquilo, seu sonho, para trás? É exatamente isso que estou me perguntando pelos últimos dias, e ainda não encontrei uma resposta que fosse suficientemente satisfatória.

De algumas coisas, no entanto, eu tenho convicção. Uma delas é, essa viagem era meu destino, simplesmente tinha que acontecer. E tudo foi perfeito, pois foi do jeito que tinha que ser.

Para começar, não teria conseguido sozinha. Ter a Maki do meu lado foi o passo primordial, se não o mais importante de todos. Ela me apoiava, e não me deixou desanimar nem por um instante. E quando ela precisava eu era forte, uma rocha, em momentos que imaginava nunca conseguir ser.

Já por lá nos separaram, e achei que fosse enlouquecer. Mas foi uma questão de tempo até eu esbarrar em uma mineira, que com o tempo eu aprenderia a amar muito. Era um tal de sobe mala, desce mala, ri, chora, alivia e desespera… E ela sempre lá, do meu lado. Quem adivinharia que, algum tempo depois, ela moraria comigo e faria a falta que fez quando foi embora… 

E por falar em morar comigo, não posso deixar de citar. Afinal, um dos momentos de maior alívio foi chegar na minha nova casa e ver por á uma brasileira, loira e saltitante dizendo que tinham dois lugares, um no quarto dela e outro no quarto de uma garota americana. Os deuses sabem o que fazem, pois colocaram juntas duas pessoas que davam certo! As duas bagunceiras, agitadas e tinham problemas com celulares da outra (entenda por isso barulho de Nextel e alarme às 6 da manhã!).

E a outra cama vaga? Ocupada por uma outra brasileira, sempre surpreendendo com sua independência e perspicácia. Não se importava quando tirávamos sarro de sua costume (que, vamos combinar, era feia de doer!), e era minha companheira quando o assunto era relacionamentos amorosos.

E quando eu começo a pensar que não pode ficar melhor, mais uma menina aparece, para me mostrar que ainda existe gente como eu e a Maki no mundo. Momentos de risada e susto, cuidar dela a noite inteira e saber que posso contar sempre, não tem preço… 

E se engana quem pensa que só meninas entram nessa história. Alguns meninos com certeza fizeram a diferença. Me viram no meu melhor e no meu pior, e mesmo assim ficaram ali, firmes e fortes.

Hugo, Maki, Li, eu, Lele, Thais, Guilherme e Mineiro

Hugo, Maki, Li, eu, Lele, Thais, Guilherme e Mineiro

O Daniel virou um grande amigo, com o qual sabia que podia contar, fosse para carregar uma amiga desmaiada até o quarto, fosse para conversar quando eu estava apenas fingindo que trabalhava. (Resort five!). O Fernando, que mesmo tentando destruir minha amizade com a Maki, era meu peão sorveteiro favorito, e sempre tinha suas teorias loucas. O Hugo, bem, é o Hugo. Sempre desligado, vivendo num mundo só dele. O Guilherme sumia por dias, mas sempre dava um jeito de voltar para nos contar algum caso.

Um dos melhores dias que eu passei foi no Magic Kingdom estava na companhia do Hugo, do Fernando e do Daniel. Em pleno 30 de dezembro, ficamos até as duas da manhã no parque dançando, conversando, rindo e comemorando nosso fake new year. Quando a Maki saiu do trabalho, fomos para o ponto, só para perder o ônibus e dormir em pé.

Em um certo ponto, eles quase passaram a morar em casa, indo para lá quase todos os dias, nem que fosse a uma da manhã, depois do serviço. Fosse para jogar detetive, comer ou simplesmente jogar conversa fora em baixo do edredom, esses meninos com certeza me marcaram.

Essas pessoas, e muitas outras, fizeram a maior diferença na minha viagem, e sei que sem elas não teria sido metade do que foi. Por isso faço questão de dizer que amo todos, e que cada um tem um lugar guardado no meu coração.

O trabalho às vezes era cansativo e desanimador, mas nada que o sorriso de uma criança ao se ver chamada de princess não resolvesse. A parte que eu mais gostava na minha role era que eu podia ver as crianças na primeira hora da manhã, com os olhos brilhando de tanta animação em ver a Cinderella, ou qualquer outra coisa que iriam ver. Tudo bem que eu dispensava as línguas estranhas as oito da manhã, mas no fim do dia eu nem ligava mais.

E os parques….. Ah, são um sonho. Obviamente meu favorito era o Magic Kingdom, não tinha dúvida nenhuma de que seria. Passei tanto tempo naquele lugar que é difícil acostumar a uma rotina sem Wishes ou sem castelo. Era como um sonho ficar naquele lugar, vendo o Mickey dançar em showzinhos no castelo, vendo as princesas sendo rodopiadas por seus príncipes.

Poder andar no backstage, vendo todos aqueles que minutos atrás estavam no palco, se preparando para ir embora, ou apenas aproveitando mais um break, era provavelmente uma das partes que eu mais gostava. Ficar na Mouseketeria vendo as princesas entrarem apenas de ceroulas, ou vendo o Peter Pan e toda sua alegria. Ver a Fada Madrinha mexendo no computador (olhando paycheck?), dando lugar pra Cinderella. Cenas que tinham tudo para destruir a magia, mas só me faziam amar mais aquele lugar. 

Tantas coisas para falar, tantas memórias que vão ficar para sempre no meu coração. Não tem como explicar a sensação de fazer uma viagem dessas, onde as emoções ficam sempre tão a flor da pele. Só sei que sem a minha nova família, a família 3305, as coisas não teriam sido metade do que foram. 

Eu posso dizer, de boca cheia, que realizei meu sonho. Vi as coisas com as quais sempre sonhei. Vi o castelo da Cinderella de pertinho, tirei fotos com a Bella, abracei o Mickey, andei de monorail, fiz muitos amigos….

Paula, Daniel, eu, Li, Maki, Lele e Thais

Paula, Daniel, eu, Li, Maki, Lele e Thaís

Agora eu acredito, muito mais do que nunca, que whishes do come true!

E, como já diria Jiminy Cricket: Make a wish and do as dreamers do. And all our wishes will come true.


Responses

  1. Preciso dizer alguma coisa?
    Se eu achava que éramos boas amigas antes.. agora tenho certeza que somos irmãs de sangue e que nada no mundo vai poder nos separar. Nem nós duas.. nem a família 3305! A gente conseguiu,neném.. realizamos o nosso sonho. Fomos pra Disney, juntas e fizemos tudo e mais um pouco. Foi incrível. E, sem você, não teria sido a mesma coisa. Te amo demaiiisssssssss

    ‘ANd all your wishes…will come true’

  2. Lindo texto, Má… Você e a Maki conseguiram escrever muito bem sobre o que foi essa experiência. Única! Essa é a palavra. A cada dia que passa, olho de novo minhas fotos pra acreditar que isso realmente aconteceu, que não foi só um sonho. Foi uma loucura, mas foi lindo. E as pessoas que eu conheci, realmente…São as mais incríveis!!
    Você não sabe como eu fico feliz por ter vc, a Maki, o Daniel e a Lelê em SP, pelo menos uma parcela daquela família está sempre por perto. Isso é muito reconfortante.
    Beijooooooooo!!!! Amo muito a todos!!!


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Categories

%d bloggers like this: